Título da Copa de 1970 completa 43 anos; veja onde e como estão os campeões do Tri

Terceiro título mundial da Seleção Brasileira foi conquistado após goleada por 4 a 1 sobre a Itália, na Copa do Mundo do México

Redação

Por

Atualizado em 21/06/2013

Um dos títulos mais emblemáticos e históricos do futebol
brasileiro completa nesta sexta-feira (21) 43 anos. A conquista em definitivo da
taça Jules Rimet, durante a Copa do Mundo de 1970, fez a Seleção Brasileira
entrar, de forma definitiva, no hall das melhores equipes da história do
esporte.

Conquistada no dia 21 de junho de 1970, no período em que o Brasil vivia o auge da Ditadura Militar e era palco de confrontos patrióticos semelhantes ao vividos atualmente, com uma sonora
goleada diante da Itália, por 4 a 1, no Estádio Azteca completamente lotado, a
Copa do Mundo de 1970 mostrou ao mundo craques como Jairzinho, Tostão e Gérson,
além de sacramentar o sucesso de Pelé, Rivelino e Carlos Alberto Torres.

Para celebrar esta importante data do futebol brasileiro,
o Virgula Esporte separou, de forma detalhada, a situação atual de cada um dos
22 jogadores que ajudaram o Brasil a conquistar o terceiro título mundial, além
do técnico Zagallo, presente em todas as conquistas.

Goleiros: 

Félix: Titular da conquista da Copa do Mundo do México, em 1970, o ex-goleiro Félix faleceu no dia 24 de agosto de 2012, às 7h, aos 74 anos de idade, no Hospital Vittoria, no Jardim Anália Franco, na zona leste de São Paulo, em decorrência a um enfisema e posterior a várias paradas cardiorrespiratórias. 

Ado Stinghen: Reserva de Félix na Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1970, Ado mora atualmente no bairro do Brooklin, zona sul de São Paulo e, aos 66 anos de idade, coordena duas escolinhas de futebol, uma no Morumbi e outra em Alphaville.

Emerson Leão: Terceiro goleiro daquela Copa do Mundo, com apenas 21 anos de idade, Emerson Leão atualmente trabalha como técnico de futebol. Demitido recentemente do São caetano, o ex-goleiro, de 63 anos, está atualmente desempregado.


Defensores: 

Brito: Um dos únicos jogadores contestados por estar na convocação para a Copa de 1970, Brito vive atualmente na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro. Aos 73 anos de idade, o ex-zagueiro aproveita sua aposentadoria na cidade de onde nunca saiu.

Piazza: Aos 66 anos, Wilson da Silva Piazza, ex-volante do Cruzeiro e da Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo de 1970, vive atualmente em Belo Horizonte. Após trabalhar como vereador e também comentarista esportivo, hoje em dia o campeão de 70 é o presidente da FAAP, Federação das Associações de Atletas Profissionais.

Carlos Alberto Torres: Capitão do Tri e um dos maiores jogadores da história do futebol mundial, Carlos Alberto Torres, hoje com 68 anos, trabalha como embaixador mundial da Visa, uma das patrocinadoras oficiais da Copa do Mundo no Brasil.

Marco Antônio: Depois de trabalhar por um bom tempo nas categorias de base do São Cristóvão, do Rio de Janeiro, o ex-lateral-esquerdo Marco Antônio Feliciano, atualmente com 62 anos de idade, está no projeto Sendas Esporte Clube, que tem como objetivo revelar futuros craques.

Baldocchi: José Baldocchi era reserva de Brito nesse esquadrão hoje é fazendeiro, produzindo café, leite e soja, além de ser dono da Baldocchi Madeira & Móveis na cidade de Batatais, interior de São Paulo.

José Anchieta Fontana: tricampeão mundial em 70, no México, com a Seleção Brasileira, morreu de infarto no dia 10 de setembro de 1980, em Santa Leopoldina, no Espírito Santo, aos 39 anos de idade. Fontana, que deixou três filhos (Sabrina, Bernardo e Fabrício), teria hoje uma neta (Luana), filha de seu filho Fabrício.

Everaldo: Everaldo Marques da Silva, lateral-esquerdo da Seleção Brasileira na Copa de 70, faleceu em um acidente de automóvel na BR-290, no Rio Grande do Sul, no dia 27 de outubro de 1974.

Joel Camargo: Conhecido como “Açucareiro”, por jogar um futebol bonito com os braços abertos, Joel Camargo foi quarto-zagueiro do Santos e da Seleção Brasileira. Aos 66 anos de idade, ele continua morando em Santos. Aposentado, Joel já trabalhou no porto, deu aulas de futebol em uma escolinha no bairro da Encruzilhada, em Santos, e foi também professor de escolinhas da prefeitura de São Paulo, uma iniciativa abortada parcialmente pelos prefeitos Celso Pitta e Marta Suplicy.

Zé Maria: Ídolo do Corinthians e um dos campeões da Copa de 1970, Zé Maria, o José Maria Rodrigues Alves, está atualmente com 64 anos de idade, mora no bairro de Santana, na Zona Norte de São Paulo, e trabalha em um projeto da Febem.

Meias: 

Clodoaldo: Clodoaldo Tavares de Santana, ex-volante da Seleção Brasileira, foi um dos destaques daquele mundial. Aos 63 anos de idade e aposentado de quaisquer atividade profissional, Clodoaldo sempre é visto nos jogos do Santos, clube que disputou mais de 500 partidas e exerceu cargos como diretor, vice-presidente e gerente de futebol. 

Gérson: Conhecido como “Canhotinha de Ouro”, Gérson ficou famoso por seus lançamentos de mais de quarenta metros de distância e seu passe preciso. Titular daquela seleção em 1970, o ex-volante de Flamengo, Botafogo, São Paulo e Fluminense atualmente trabalha como comentarista da Rádio Bradesco Esportes, no Rio de Janeiro, além de coordenar uma escola de futebol em Niterói.

Rivellino: Atualmente com 67 anos, Rivellino era um dos jovens daquela seleção, mas ali mesmo mostrou a qualidade que o consagrou. Titular do time de Zagallo, o ex-jogador de Corinthians e Fluminense hoje trabalha como comentarista do programa Cartão Verde, da TV Cultura.

Paulo Cesar Caju: Ídolo de times como Botafogo e Flamengo, Paulo Cesar Caju, hoje com 64 anos de idade, trabalha para a empresa Global Sports, é olheiro de Olympique de Marselha, da França, além de ser sócio em academia de ginástica no Leblon, no Rio de Janeiro.

Atacantes: 

Jairzinho: Jair Ventura Filho, o popular Jairzinho, que ficou conhecido na Copa do Mundo de 1970 como o “Furacão da Copa”, trabalha atualmente como empresário de jogadores de futebol. Aos 68 anos de idade, ele foi um dos responsáveis por descobrir Ronaldo Fenômeno.

Tostão: Colunista esportivo do jornal Folha de S. Paulo, Tostão, atualmente com 66 anos de idade, foi um dos grandes destaques da Seleção Brasileira que disputou e conquistou a Copa do Mundo de 1970. Mesmo se aposentando do futebol cedo, por conta de um descolamento de retina, o craque fez história nos gramados.

Pelé: Principal ídolo do futebol brasileiro e certamente o maior jogador da história, o Rei Pelé, que, além da Copa de 70, ajudou o Brasil nas conquistas de 1958 e também em 1962, atualmente está com 72 anos e trabalha como embaixador mundial do futebol e possui alguns empreendimentos comerciais.

Edu: Aos 63 anos de idade, o ex-santistas Edu, um dos eternos parceiros de Pelé, mora na cidade de Santos e não exerce nenhuma atividade profissional, mas quase sempre é visto na Vila Belmiro aproveitando sua aposentadoria.

Dadá Maravilha: O boa praça Dadá Maravilha, aos 67 anos de idade, vive atualmente na cidade de Belo Horizonte, onde trabalha como comentarista da TV Alterosa, filial mineira do SBT, e assina uma coluna em um jornal local.

Roberto Miranda: Centroavante de Botafogo e também da Seleção Brasileira, Roberto, que foi reserva do time campeão de 70, está com 69 anos e trabalha atualmente como funcionário público no projeto para venda de remédios mais baratos para a população de baixa renda.

Técnico

Zagallo: Mario Jorge Lobo Zagallo, treinador da Seleção Brasileira campeã do mundo de 1970, o “Velho Lobo” está aposentado de qualquer atividade envolvendo futebol e, aos 81 anos de idade, vive no Rio de Janeiro.

Veja abaixo os gols da grande final da Copa do Mundo de 1970:

Sugerir correção

Relacionados ao assunto

Carregar mais

Comentários

Os comentários estão fechados.