‘Geração mimimi: que não se prolifere e acabe logo’, diz facebooker Marcela Tavares

Nathalia Salvado

Por

Atualizado em 13/09/2016

Marcela Tavares

Marcela Tavares (Crédito: Reprodução/Facebook)

Leia mais

Você pode não conhecer muito a atriz e humorista Marcela Tavares, mas certamente já viu algum dos vídeos dela rolando em sua timeline no Facebook, seja falando mal da então presidente Dilma Rousseff ou dando aulas de português em tom histérico. A carioca ficou famosa para valer em 2015, ao fazer um vídeo sobre a separação de Joelma e Chimbinha, o seu primeiro viral. Do dia para noite, foi de 400 likes para 15 mil em sua fan page. Hoje, soma nada menos do que 2,5 milhões de seguidores.

Além do sucesso, o vídeo sobre a separação do casal Calypso rendeu também a primeira (de muitas) polêmicas que Marcela se envolveria de lá para cá, com direito a ameaças de morte e fãs irados deixando comentários nervosos para a humorista. “No começo, fiquei com medo real. Foi meu primeiro vídeo no Facebook e, em menos de 5h, eram milhares de pessoas me amando e outras tantas me jurando de morte”, relembrou em entrevista exclusiva ao Virgula, por e-mail.

Marcela Tavares

Marcela Tavares (Crédito: Divulgação/Vinicius Tribian)

“Pensei: meu Deus, agora que deu certo, vou levar um coice do cavalo manco, NÃOOOOO!​ Mas depois que eu peguei a prática, vi que as pessoas são muito corajosas na internet, falam o que querem, xingam, ameaçam, enquanto tomam um Toddynho gelado e estão protegidos por uma tela (seja do computador ou do celular), quando me encontram na rua, pedem foto”, contou Marcela, que estará com um show em São Paulo no próximo domingo (18).

Apesar de ter um canal no Youtube, com pouco mais de 348 mil inscritos, é o Facebook que ela usa como plataforma de divulgação do trabalho. “Não foi nada planejado. É a rede social que mais uso e, particularmente, eu tenho certa preguiça de entrar no Youtube para assistir vídeos, fazer buscas, etc. Conforme fui colocando os vídeos no ar, percebi que meu público maior não está no YouTube, meu público adolescente é minoria. E outra, eu publico o vídeo no Face, quem me segue já recebe o vídeo na timeline. Muito mais prático!”, disse.


O conteúdo de seus vídeos mais famosos tem dois temas principais: política e aulas de português para aquelas pessoas que costumam escrever ou falar errado. Na política, o alvo principal dos ataques é quase sempre o Partido dos Trabalhadores (PT) ou Dilma Rousseff, que recentemente sofreu um impeachment. Em entrevistas variadas, Marcela já disse que “não é partidária”, “não é contra o PT”, que apenas é “contra as pessoas que fazem merda no PT”.

“Nunca fui de estar em cima no muro. Não estava satisfeita com a situação do país e falei o que achava. ​Perdi vários seguidores, mas ganhei vários também. Principalmente, pessoas que se identificam comigo”, disse a comediante ao Virgula. Questionada, porém, sobre os últimos acontecimentos no cenário político do país, se acreditava que o País caminhava para uma melhora e como via as manifestações de #ForaTemer, Marcela preferiu dar uma opinião bastante clássica e sem se comprometer. “Ainda é muito recente e não da pra avaliar”, afirmou. “Para melhorar mesmo precisa fazer uma limpa geral lá dentro”, completou.

Os vídeos políticos também contrastam com um episódio recente em que a facebooker se envolveu. Ao abrir um show do Skank em Nova York, ela disse para o público: “hoje está f*** viver no Brasil. Acho que, por isso, muitos de vocês estão aqui” e “O Brasil está tão horrível, tem tanto desemprego, que sites de empregos têm mais usuários que o Facebook”. Depois disso, não conseguiu falar mais nada, pois foi tão vaiada que teve que sair do palco. Não conseguiu continuar a stand up que faria.

“​Todo artista está vulnerável a isso. Estava num país desconhecido, fazendo show para um público que não era meu e não me arrependo de nada. Não estava lá para fazer um pronunciamento político, estava pra fazer um pocket show de humor.  Claro que não me senti bem, ninguém gosta de ser vaiado, nesse momento pensei muito nos juízes de futebol. ​Subir ao palco depois disso foi um tesão! Meu público é muito fiel e carinhoso. Com esse episodio: Marcela Vaiada em NY, que foi matéria no país inteiro, aprendi a fazer piada!”, disse.

Marcela Tavares

Marcela Tavares (Crédito: Reprodução/Facebook)

​Marcela também falou ao Virgula sobre os haters e o que chama de ‘geração mimimi’, que reclama de tudo e por tudo na internet. Ela afirmou que concorda com a visão generalista que “as pessoas do mundo de hoje estão chatas de mais”, que, por sinal, foi tema abordado em um bom vídeo do Porta dos Fundos, recentemente. “MUITO! Costumo dizer que os chatos sempre existiram, mas com as redes sociais eles ficaram em evidência. Todo mundo se ofende por qualquer coisa, sabe opinar qualquer assunto, ​pode xingar e ofender quem quiser. Geração mimimi. Que não se prolifere e acabe logo, amém”, disse.

Aulas de português

Outro tipo de vídeo de Marcela que viralizou rapidamente foram suas aulas de português – um pouco cheias de histeria e gritos – na série Não SejA Burro. “Desde criança eu tenho um carinho pela língua portuguesa, comecei a falar com 9 meses. Com um ano e meio, segundo minha mãe, corrigia as pessoas que falavam ​a linguagem de bebê comigo”, relembrou.

“Eu já tinha a ideia de fazer um vídeo com correções da língua portuguesa, mas nessa pegada de promoção do Ricardo Eletro, com repetição, para grudar mesmo na cabeça das pessoas. Peguei um óculos que já tinha em casa, para dar um ‘q’ a mais de professora e estou na edição 4 do Não SejA Burro”, contou.

Questionada se já pensou que algumas pessoas já se sentiram ofendidas com seus vídeos, disse que os professores de português até a agradecem pelas aulas que dá. “Lendo alguns (muitos) comentários, vi que as pessoas ainda insistem em escrever errado por pura preguiça. Hoje em dia, na geração mimimi, todo mundo se ofende por qualquer coisa, o importante é que recebo mensagens diárias de professores me agradecendo, que passam o vídeo na sala de aula, e que estão escrevendo cada vez menos ANCIOSO. As pessoas que não tiveram oportunidade de estudar e que não tem acesso à internet (porque hoje o Google é o maior dicionário do mundo), ok, é compreensível, mas com a criança de 12 anos que escreve COM MIGO, vou continuar gritando”, afirmou.

Serviço

Marcela Sem Filtro
Data:
 Domingo, 18 de setembro de 2016
Horário: 19h
Local: Tom Brasil
R. Bragança Paulista, 1281 – Santo Amaro, São Paulo
Ingressos: a partir de R$ 60,00 (Inteira) e R$ 30,00 (meia)
Classificação: 16 anos
Venda de ingressos: site www.ingressorapido.com.br ou na bilheteria do Tom Brasil, das 10 às 20h de segunda a sábado; domingo e feriado das 10h às 18h – venda de ingressos até a hora do show.

Sugerir correção

Relacionados ao assunto

Carregar mais

Comentários