Roberto Carlos deverá ganhar cinebiografia sem censura em 2017

Por

Atualizado em 11/12/2016

O rei Roberto Carlos vai lançar uma cinebiografia. De acordo com reportagem publicada no jornal Agora S. Paulo, o longa-metragem será rodado no ano que vem. A direção do filme ficará por conta de Breno Silveira, o mesmo de ‘Dois Filhos de Francisco’.

Roberto Carlos trabalhou como auxiliar administrativo do Ministério da Fazenda.

Reprodução/Facebook

Assinado por Nelson Motta e Patrícia Andrade, a censura deve ficar de lado no longa. Segundo o jornal, o filme deverá abordar todas as polêmicas do astro, inclusive a história do acidente que fez com que Roberto perdesse uma das pernas.

Envolvido no projeto, Roberto Carlos quer ajudar na seleção do elenco e bater o martelo sobre o ator que o interpretará. Uma participação do próprio rei também faz parte dos planos dos criadores.

20 coisas que você não sabia sobre Roberto Carlos

1 de 21
Compartilhe Twitter Google +

Bob Nelson

Bob Nelson foi a primeira inspiração do pequeno Roberto. Ele lembra que começou a imitá-lo aos 9 anos.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

A primeira gravação foi um compacto com 78 rpm que saiu em 1959 com as músicas João e Maria e Fora do Tom.

Créditos: Divulgação

Louco por Você

Louco por Você, primeiro LP, saiu em 1961. É uma relíquia disputada por colecionadores.

Créditos: Divulgação

Carlos Imperial

Carlos Imperial ajudou Roberto no começo da carreira, inclusive tendo produzido o disco de estreia do Rei.

Créditos: Divulgação

Chacrinha

Responsável pelo apelido de “Rei”, Chacrinha coroou Roberto de verdade em 1966, em seu programa.

Créditos: Divulgação

Roberto e Wanderléa

Wanderléa e Roberto Carlos foram namorados antes da Jovem Guarda.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Todo mundo tinha apelido na Jovem Guarda: Roberto era O Brasa; Erasmo Carlos, Tremendão; Wanderléa, Ternurinha; Wanderley Cardoso era o Bom Rapaz; Rosemary, Fada; Martinha, Queijinho de Minas.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos, 1972

Desde a década de 70, ele lança um disco por ano. Apenas em 1999, impactado pela morte de Maria Rita, o ídolo não lançou um disco de inéditas.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Com 100 milhões de álbuns vendidos, ele é o brasileiro que mais vendeu discos no mundo.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos, San Remo, 68

Em 68, se tornou o primeiro não italiano a vencer o Festival de São Remo.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Ele gravou 12 músicas em inglês, 61 em italiano, 4 em francês, 244 em espanhol e quase 400 em português.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Algumas manias decorrentes do Transtorno Obsessivo Compulsivo, ele adora branco e azul e odeia preto e roxo. Também evita dizer palavras como "mal", "azar" e "inferno", além do número 13.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Muitas músicas foram inspiradas em pessoas reais: para Myriam Rios fez: A Atriz e Eu Preciso de Você.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Para Nice, ex-mulher, dedicou Amada Amante, Como é Grande o Meu Amor Por Você e Sua Estupidez.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Maria Rita inspirou: Amor Sem Limite, O Grande Amor da Minha Vida, Pra Sempre e Eu Te Amo Tanto.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos, 79

Já Lady Laura, de 76, homenageia a mãe do astro.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

O pai também foi lembrado, com Meu Querido, Meu Velho, Meu Amigo, de 79.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Traumas e O Divã tratam do acidente em que perdeu a perna.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Gravou em 2001, o acústico MTV de Robertão nunca foi ao ar por seu contato de exclusividade com a TV Globo.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

O especial de fim de ano começou a ir ao ar em 74.

Créditos: Divulgação

Roberto Carlos

Roberto Carlos

Créditos: Divulgação

Sugerir correção

Relacionados ao assunto

Carregar mais

Comentários