Mascarado do Raul Gil, Gustavo Lira desvenda mistério e diz: "Cozinho, lavo e boto para dormir"

O modelo e gogodance Gustavo Lira, de 31 anos, é o galã misterioso das tardes de sábado do SBT. Assistente de palco do apresentador Raul Gil, o moreno exibe o corpo definido, dança com as calouras desafinadas e faz mistério sobre a sua identidade.

Conhecido com O Mascarado, Gustavo é a sensação do quadro Mulheres que Brilham e garante que o público já o reconhece, mesmo sem máscara, nas ruas. “As tatuagens que eu tenho pelo corpo e o sorriso já dão dica de quem eu sou”, declarou.

Em entrevista exclusiva ao Virgula Famosos, o assistente de palco posou para as lentes do fotógrafo Giancarlo Azzi e desvendou os seus maiores segredos. Confira:

[VIRGULA FAMOSOS]: Você enlouquece o público feminino do Programa Raul Gil. Como surgiu o convite para participar do programa? Você gosta de ser desejado?

Confesso que nunca esperei ser um assistente palco e tudo foi muito rápido. A produção me convidou em um dia e no outro eu já estava gravando. Fui apreensivo, nervoso por se tratar de um programa de auditório, mas acredito que já estava preparado. Sou modelo há cinco anos, também danço em casas noturnas, sempre gostei de cuidar do corpo, treinei, me cuido. Na gravação, é engraçado lidar com aquela loucura da mulherada, mas eu gosto. Me faz bem mexer com a libido do público.

A Suzana Alves declarou que inicialmente usou a máscara para viver a Tiazinha, no extinto programa H, porque sentia vergonha. Por qual motivo você se tornou um assistente de palco mascarado?

Foi decidido pela produção que eu seria um personagem, um assistente diferente das outras atrações. Acredito que O Mascarado desperta mistério e ao mesmo tempo traz algum fetiche para os telespectadores. Muita gente fala: “É mascarado, será que é bonito?”, pede para eu tirar, mostrar o rosto. O fato de as pessoas não me verem totalmente, instiga a querer saber o que tem por trás da máscara. Até hoje me perguntam quando vou finalmente revelar o mistério.

Você tirou a máscara para o Virgula Famosos. Não acha que pode estragar a surpresa? 

Ainda existirá o mistério para quem acompanha apenas pela televisão, mas acredito que não sou um rosto tão desconhecido assim. Anteriormente, fui conhecido como o garoto propaganda de um produto eletrônico [o Total-Shape], já posei nu, então muita gente que me vê na rua já me reconhece. Além disso, as minhas tatuagens me entregam. Muita gente já me adiciona nas redes sociais sabendo quem eu sou. 

Raul Gil nos bastidores é diferente daquele que vemos na TV?  

O Raul é homem muito reservado, simples e brincalhão. Pelo que eu vejo, ele conversa com todo mundo nos corredores, da empregada até o dono da emissora. Virei fã dele depois que comecei a trabalhar ao seu lado. Ele é um monstro sagrado da televisão brasileira. Ele e o Silvio Santos são sucesso, e sempre vão ser. 

Como lida com o assédio das mulheres do programa? Alguém já cometeu uma loucura?

Estou calejado, tiro de letra quando abusam. Mas acho que a educação deve vir acima de tudo. Existem pessoas que não têm limites, invadem a sua privacidade, não sabem diferenciar um trabalho. Elas querem pegar, cheirar, morder, puxar minha cabeça para dar um beijo. Isso é uma loucura, nossa. Recebo muitas propostas [indecentes], mas a maioria é de homens. Esse contato do público GLS é constante também. Você acaba virando um material de desejo, uma carne. 

Como se sente sendo um pedaço de carne? 

Nossa Senhora! Como vou responder isso? Nem sempre é muito bom, não. Embora seja bacana para o ego ser desejado pela aparência, fico chateado quando acham que eu sou só isso, um corpo. Falam que eu sou bonito, gostoso, apareço na televisão e ponto. Mas não é ponto, é vírgula. Já estudei, sou formado em massoterapia, nas horas vagas eu danço, já morei no exterior... Mas isso não parece que vale para as pessoas. É só corpo, barriga, peitoral, braço...

Com tanta gente elogiando o seu corpo, uma hora o ego deve inflar. Como dosar para não se tornar um fortão convencido?

Acho que a palavra é humildade. Os elogios nunca subiram à cabeça, pois sempre estou dosando aquilo que vale a pena de verdade. Como sou espírita, procuro ler Allan Kardec, Chico Xavier, leituras que me fazem um ser humano melhor. Para os momentos de empolgação, os amigos de verdade e a família estão ali para te dar uma direção. 

Na televisão já surgiram outros assistentes de palco – paquitos, Homem Bambú, Tiozinho - mas comparado às mulheres esse número é bem inferior. Cogita algum motivo?

Acho que está faltando espaço para os homens. Mas culturalmente as mulheres são mais “valorizadas” no quesito beleza, recebem close, ganham mais espaço, estão em maior quantidade. Você pode ver: enquanto uma mulher posa nua para uma revista e ganha milhões, os homens posam e o cachê é bem inferior. Talvez o telespectador masculino esteja mais acostumado a explorar corpos femininos, a própria sexualidade, enquanto as mulheres ainda sintam um pouco inibidas. Mas isso está mudando...

Quem é o Gustavo Lira sem as máscaras? 

Ah, sou um homem simples, calmo, feliz. Faço de tudo: cozinho, lavo, passo e ainda boto para dormir [risos]. E, assim como tenho muitas qualidades, também possuo muitos defeitos. Sou muito ansioso para namorar, para o trabalho, para jogar uma bola, estudar, para ir ao teatro. Também sou tímido. Sei que não parece, mas é algo que eu estou trabalhando até hoje. Sou um bicho do mato. 

Você se considera tímido? Não dá para acreditar...

Quando me arrumo, boto a máscara, surge outro Gustavo. Parece que incorporo um espírito e vai. Às vezes, eu assisto e penso: “Eu não fiz isso, como fiz isso?”. Na paquera, sou tímido também. Penso: “Não vou fazer desse jeito, afinal o que a pessoa pode achar?” Lembro que o meu pai me apresentava para as meninas e eu me escondia atrás dele... Hoje em dia é mais fácil porque elas chegam [risos]. 

Como você se vê daqui a 30 anos, quando estiver com 61?

Vejo minha vida estabilizada, com minha casinha na praia ou no campo. Espero que esteja colhendo frutos do sucesso do meu trabalho, não da fama. Afinal, qualquer pessoa pode ter os seus 15 minutos de fama e ela acaba. Quanto ao meu corpo, acredito que estarei em forma. Tenho alimentação regrada, faço exercícios e conheço bem como meu corpo funciona. No fundo, o que a gente leva mesmo é o aprendizado. 

Qual seu objetivo profissional? Ser assistente de palco te satisfaz?

Não me satisfaz [risos], mas estou curtindo muito. Gosto do programa e do quadro que auxilio. Mas ainda pretendo fazer teatro, novela, filmes, inclusive fora do Brasil. Vou começar a estudar e alcançar muito mais. Podem esperar!

Veja o mistério de Gustaro Lira na galeria acima.

Você também pode gostar de:

Comentários:

Álbuns em destaque

TOP 3+ LIDAS

Últimas Notícias