“Chega de mimimi machista”: ‘Amor e Sexo’ estreia falando de feminismo e bomba na web

João Vieira

Por

Atualizado em 27/01/2017

Fernanda Lima na estreia de 'Amor e Sexo'

TV Globo/Reprodução Fernanda Lima na estreia de ‘Amor e Sexo’

Leia mais

O Brasil estupra uma mulher a cada 11 minutos. Três em cada cinco mulheres jovens já sofreram violência em relacionamentos, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Avon em parceria com o Data Popular em 2014. Do total de atendimentos realizados pelo Ligue 180 – a Central de Atendimento à Mulher – no 1º semestre de 2016, 12,23% (67,9 mil) corresponderam a relatos de violência. Entre esses relatos, 51,06% corresponderam à violência física; 31,10%, violência psicológica; 6,51%, violência moral; 4,86%, cárcere privado; 4,30%, violência sexual; 1,93%, violência patrimonial; e 0,24%, tráfico de pessoas. O homicídio de mulheres negras aumentou 54% em 10 anos, mesmo com a Lei Maria da Penha, em vigor desde 2006.

Chega de “mimimi” machista. 

Nesta quinta-feira (26), a mensagem que ecoa há meses nas ruas do Brasil chegou na televisão, através do programa Amor e Sexo, comandado por Fernanda Lima, que estreou sua nova temporada falando abertamente sobre feminismo, liberdade sexual da mulher, assédio, abuso, violência doméstica e o sistema patriarcal que vive o Brasil e vitimiza o sexo feminino.

Na bancada, nomes como Karol Conka, Djamila Ribeiro, Gaby Amarantos e até alguns homens, como Otaviano Costa e José Loreto, que estavam nas temporadas anteriores, e Eduardo Sterblitch, estreante na atração e no canal, discutiram o tema durante todo o episódio.

Além, claro, dela.

amor 15

A repercussão foi altamente positiva nas redes sociais, com diversas pessoas apontando para a importância da abordagem do feminismo de forma franca e sem rodeios na TV aberta. Esse é o oitavo ano de Amor e Sexo no ar. O programa estreou em agosto de 2009.

amor 1

amor 2

amor 3

amor 4

amor 5

amor 6

amor 7

amor 8

amor 9

amor 10

amor 11

amor 12

E, claro, a grande rainha da noite e do Brasil 

amor 13

amor 14

 

Veja abaixo outros tweets

amor 16

amor 17

amor 18

amor 19amor 20

Os piores estereótipos sobre o feminismo

1 de 11
Compartilhe Twitter Google +

Feministas são histéricas

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas são mães desnaturadas

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas deixam os maridos cuidando sozinhos da casa e da família

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas são feias e dentuças (????)

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas querem "acabar" com a masculinidade dos homens

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas não querem saber da própria família

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas odeiam casamento e relacionamentos

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas são agressivas e praticam bullying

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas não querem igualdade, e sim a dominação dos homens

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas querem se passar por homens

Créditos: Reprodução/Huffington Post

Feministas são egoístas

Créditos: Reprodução/Huffington Post

 

Sugerir correção

Relacionados ao assunto

Carregar mais

Comentários