Curta mostra rotina “comum” de casal homoafetivo contra homofobia no Congresso

João Vieira

Por

Atualizado em 17/05/2017

Leia mais

A chamada “bancada evangélica” hoje possui cerca de 90 componentes, entre 87 deputados e três senadores, articulando-se contra temas como igualdade racial, de gênero, legalização do aborto e outros avanços sociais e no campo de saúde que já foram assim comprovados por órgãos da maior credibilidade em todo o mundo.

Para tanto, a ala mais conservadora do Congresso, que tem como alvo principal os homossexuais, especialmente aqueles que se encontram em uma estável e feliz relação homoafetiva, legisla com discursos que vão desde o clássico “Deus fez o homem e a mulher” até absurdos como “se a Bíblia diz que a prática homossexual é crime, então eu não posso ser considerado homofóbico por ser contra essa prática”.

Mesmo assim, há seis anos o STF protocolou como legal a união estável homoafetiva, o que, em outras palavras, dá o direito aos gays de se casarem no civil.

Documentário 'Em Defesa da Família'

Divulgação Documentário ‘Em Defesa da Família’

Neste 17 de maio, quando se celebra o Dia Internacional do Combate à Homofobia, foi lançado o curta-metragem Em Defesa da Família, que discute a definição de família a partir do cotidiano de Marília e Vanessa, mulheres que, juntas, possuem três filhos: Samuel, Felipe e Mateus.

Enquanto a relação se desenvolve de forma “comum”, como em qualquer outro lar, discursos homofóbicos de deputados e senadores conservadores ecoam ao fundo.

Parece surreal, mas todas as falas são de fato reais e foram ouvidas em sessões parlamentares técnicas e no Plenário desde a decisão do Supremo em favor da comunidade LGBT.

“Neste momento, em que a intolerância ganha força política e social, é preciso aprofundar e humanizar o debate que ocorre no Congresso, focando nas pessoas diretamente afetadas por ele”, afirmou Daniella Cronemberger, diretora do filme.

Ao fim, a produção traz as mães falando sobre a dificuldade de se manter uma relação saudável com os filhos em um país como o Brasil, um dos mais violentos contra a comunidade LGBT na América Latina. “A gente pode se defender, mas e o meu filho? E se ele tem um colega na escola que ouve essas coisas em casa?”, questiona uma delas.

No Dia do Combate à Homofobia, lembramos famosos que apoiam a causa

1 de 10
Compartilhe Twitter Google +

Daniel Radcliffe

O eterno Harry Potter é porta-voz da campanha It Gets Better, que busca denunciar e combater o preconceito contra adolescentes homossexuais nas escolas e ambientes jovens. Daniel já doou mais de 25 milhões de libras em programas de combate à homofobia.

Créditos: Reprodução

Ellen Degeneres

A apresentadora norte-americana é declaradamente homossexual, e uma grande ativista da causa. Ellen é representante da Aliança Gay e Lésbica contra a Discriminação, e sempre discute temas relacionados com homofobia e sexualidade em seu talk show, um dos mais assistidos dos Estados Unidos.

Créditos: Instagram/Reprodução

Ellen Page

A atriz de Juno também é homossexual assumida. Ellen ficou famosa recentemente por confrontar Jair Bolsonaro em uma série online, onde ela viaja pelo mundo denunciando casos e campanhas homofóbicas em diversos países.

Créditos: Instagram/Reprodução

Elton John

O lendário músico inglês é casado com David Furnish oficialmente desde 2005, e sempre destina parte de sua fortuna para associações que discutem casos de homofobia e a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o mundo.

Créditos: Instagram/Reprodução

George Clooney

Alguém duvida da capacidade de galã de George Clooney? Diferente de alguns símbolos sexuais de Hollywood, o ator não tem receio algum em se declarar completamente favorável ao combate à homofobia. Clooney já depositou alguns milhões em colaborações com programas favoráveis aos gays e trans na Europa e Estados Unidos.

Créditos: DIvulgação

Ingrid Guimarães

A atriz está sempre presente em rodas de discussões na web relacionadas ao combate à homofobia. Nesta terça-feira (17), por exemplo, Ingrid usou seu Instagram para lembrar a data e dar um forte depoimento contra o preconceito. "Não é uma questão de opinião, mas sim de justiça", disse ela.

Créditos: Instagram/Reprodução

Jean Wyllys

O ex-BBB é o único representante da comunidade LGBT em Brasília. Deputado federal, Jean Wyllys enfrenta forte repressão no Congresso para tentar garantir alguns direitos mínimos aos homossexuais, como a criminalização da homofobia.

Créditos: Facebook/Reprodução

Lady Gaga

Gaga é a grande diva dos homossexuais. Em suas músicas, roupas e atitudes, a cantora sempre demonstra seu carinho e apoio aos gays e trans, se tornando uma grande inspiração para toda a comunidade.

Créditos: Instagram/Reprodução

Madonna

Se Lady Gaga é a diva dos homossexuais, Madonna é a rainha. A cantora pop é uma histórica defensora dos direitos LGBT.

Créditos: Instagram/Reprodução

Tiago Abravanel

O ator e cantor também sempre se manifesta a favor dos gays e trans em polêmicas envolvendo o tema. No caso mais recente, quando sua tia, Patrícia Abravanel, declarou que relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo não são normais, Tiago foi ao Instagram para responder a tia, deixando claro sua opinião e pedindo que ela aprende mais sobre o assunto.

Créditos: Instagram/Reprodução

Sugerir correção

Relacionados ao assunto

Carregar mais

Comentários