Esses vídeos mostram a importância que o Xuxa Park e o Planeta Xuxa tiveram para o funk 90

Ciro Hamen

Por

Atualizado em 10/01/2017

Xuxa ao lado de Claudinho

Reprodução/Twitter Xuxa ao lado de Claudinho

Durante praticamente todos os anos 90, Xuxa dominou as tardes de sábado (e de domingo também) na Rede Globo. Apresentando o Xuxa Park (que tinha o Xuxa Hits dentro de sua programação), desde 1994, e depois o Planeta Xuxa, que teve um fim trágico com um incêndio no estúdio, em 2001, colocando fim a uma era, a apresentadora sempre foi exaltada por funkeiros por colocá-los como convidados em seus programas.

MC Marcinho, inclusive, disse que o seu hit “Glamurosa” foi inspirado em Xuxa. “O funk deve muito a ela, quando todo mundo tinha preconceito, ela batia no peito e dizia que era funkeira, além de chamar todo mundo para se apresentar no programa dela”, disse o funkeiro ao UOL em 2013.

Fizemos uma pequena compilação de grandes momentos do Xuxa Park e do Planeta Xuxa, que mostram que os programas da Xuxa foram o SOULTRAIN (programa de televisão americano dos anos 70 que dava destaque aos artistas de música negra) nacional.

Vejamos:

Claudinho e Buchecha – Xereta

Claudinho e Buchecha eram praticamente sócios dos programas da Xuxa. Quem não se lembra do refrão de “Quero te Encontrar” alterado para “Quero te encontrar/Xu-xa”? E da clássica “Xereta”, uma versão de “Superfreak”, que continha o verso “vou fazer você zoar esse planeta”, que eu sempre quis acreditar que era uma referência ao Planeta Xuxa. Era impossível não se contagiar com a alegria da dupla nas apresentações ao vivo, como mostra esse vídeo de “Xereta”, em 1999, que é puro carisma:

Márcio e Goró – Ponto G

Claudinho e Buchecha eram tão sócios do programa que estavam APRESENTANDO o Planeta Xuxa nesta ocasião, quando a rainha dos baixinhos precisou se ausentar por causa do nascimento de Sasha.

E o que dizer desse hit de Márcio e Goró, que trazia o refrão “pois eu não conhecia o ponto G/ G/ O/ R/ O/ G/ G/ O/ R/ O/ Simplesmente bem Márcio e…”? Goró já entra no palco arrepiando na dancinha e no fim da apresentação manda um beijo para Xuxa, que sempre tratou o funk com muito respeito em seu programa. Infelizmente Goró cometeu suicídio em 2000 depois de passar por uma depressão sofrendo com a falta de sucesso da dupla.

Mister Mu – A Desconhecida

Um dos funks mais tristes e bonitos de todos os tempos, “A Desconhecida”, de Mister Mu, também foi um grande hit nos programas da Xuxa. O vídeo conta com esse visual muito maneiro do Mister Mu, que exibia um cabelo estilo boxtop, correntes e roupa preta, uma espécie de gótico do funk melody. Em certo momento da apresentação (3:02), Mu surpreende e manda: “Essa música é também para todas as senhoras de idade aqui presentes. As titias, as mamães…”. Vale ver o vídeo até o final também para curtir a interação da Xuxa com o You Can Dance. Que programa maravilhoso.

You Can Dance – Anjo

O próprio You Can Dance, que era a “banda de apoio” da Xuxa, também tinha seus próprios hits. Provavelmente não há nada mais anos 90 que o visual do You Can Dance neste vídeo. Que fim levaram esses bonés com placas de metal e essas bermudas que batiam na canela? Vale lembrar que o Fly, dançarino mais famoso do You Can Dance, está na Globo até hoje e Xuxa não.

Latino – Não Adianta Chorar

Esse vídeo é sem dúvida uma das melhores coisas do YouTube. Latino de bigode, usando um terninho branco com uma estampa de teclados e uma calça estilo MC Hammer. É o Zé Bonitinho que a nossa geração merecia. A apresentação ainda conta com Márcio Gárcia, na época fazendo uma ponta como assistente de palco do programa, vestido de Bam Bam dos Flinstones. Sem falar que ainda é uma das melhores músicas do Latinão, “Não Adianta Chorar”.

MCs Júnior e Leonardo – Rap do Centenário

Júnior e Leonardo, responsáveis pelo grande sucesso “Endereço dos Bailes” e pela composição do “Rap das Armas”, também fizeram o “Rap do Centenário”, que celebrava o aniversário de 100 anos do Flamengo, comemorado em 1995.

Cidinho e Doca – Rap da Xuxa

A própria Xuxa era tão considerada dentro do meio do funk que tinha até música feita em sua homenagem. Taí o “Rap da Xuxa”, de Cidinho e Doca, que não nos deixa mentir.

Copacabana Beat – Beijo Doce

Um dos maiores hits do funk melody, “Beijo Doce”, do Copacabana Beat, também foi bem recebido no Xuxa Hits.

MC Marcinho – Quero Você

MC Marcinho, como falado anteriormente, fez o seu hit “Glamurosa” inspirado em Xuxa, que “batia no peito e dizia que era funkeira quando todo mundo tinha preconceito”. Essa apresentação de um dos maiores reis do funk no Xuxa Hits é fundamental.

Sampa Crew – Eterno Amor

O R&B brasileiro também tinha vez no Xuxa Hits. Sampa Crew com o hit devastador de 1994, “Eterno Amor”, foi uma das atrações do programa.

Pepê e Neném – Mania de Você

E essa apresentação incrível de Pepê e Neném cantando “Mania de Você”?

Negritude Jr. – Beijo Geladinho

Vale lembrar que nem só de funk vivia o Xuxa Hits. Artistas de outros ritmos populares também sempre compareciam ao programa e vale muito lembrar essa apresentação do Negritude Jr. tocando “Beijo Geladinho” usando um visual que só o Earth, Wind & Fire nos anos 70 poderia usar. Tudo o que podemos dizer é: que programa incrível, que era incrível.

Funkeiras de ontem e hoje que arrasam

1 de 11
Compartilhe Twitter Google +

MC Tati Zaqui

MC Tati Zaqui, do hit Parará Tibum, se tornou fenômeno após ser capa da Playboy.

Créditos: Reproduçã/Facebook

Valesca Popozuda

Quem é que lacra mais que Valesca, popofãs? Poucos fizeram uma transição dos bailes para o mainstream como ela.

Créditos: Divulgação

MC Ludmilla

A MC Ludmilla está no time das funkeiras que namoram o pop.

Créditos: Reprodução/Facebook

Deize Tigrona

Pioneira entre as funkeiras MCs, seu hit Injeção foi sampleado por Diplo para M.I.A. e chamou a atenção do mundo inteiro para o funk carioca e para o som tecnológico do gueto.

Créditos: Divulgação

MC Pocahontas

A princesa da ostentação carioca MC Pocahontas tem inegável apelo pop.

Créditos: Reprodução/Facebook

MC Mayara

De Curitiba, a MC Mayara alia letras libertárias e escrachadas sobre sexo e eletrofunk, variação que aproxima música eletrônica e funk

Créditos: Reprodução/Facebook

Tati Quebra Barraco

Uma verdadeira rainha. A funkeira pioneira passou por uma transformação corporal e voltou com o disco Se Liberta, no fim do ano passado.

Créditos: Reprodução/Facebook

MC Carol

Um dos nomes mais explosivos da nova cena, a MC Carol, de Niterói, adota discurso feminista ao lado de uma boa dose de humor e descontração.

Créditos: Reprpodução/Facebook

Sapabonde

De Brasília, o grupo lésbico Sapabonde enfia sexualidade em um caldo em que esse apelo já é evidente. O resultado é bapho.

Créditos: Reprodução/Facebook

MC Pikena

A MC Pikena, do sucesso A Pegada Da Menina, produzido por Perera e DJ R7, fez parcerias com MC Pedrinho, menino fetiche do momento

Créditos: Reprodução/Facebook

Camilla Uckers

Camilla Uckers passou de celebridade trash da internet a cantora de sucesso logo em sua primeira tentativa no funk com Quem Nasceu Piriga. De quebra, popularizou o bordão: "Tô pretérita".

Créditos: Reprodução/Facebook

 

 

Sugerir correção

Recomendados para você

Relacionados ao assunto

Carregar mais

Comentários