Tortura, asfixia e abuso: as loucuras e tiranias de 10 diretores de cinema

Nathalia Salvado

Por

Atualizado em 2/08/2016

montagemA vida dos diretores de cinema nunca é fácil, mas alguns deles acabam passando de todos os limites para conseguirem as cenas perfeitas. Alguns, levam seus atores a exaustão para poder conseguir extrair o que o elenco tem de melhor.

Leia mais

Kubrick demorou 2 dias inteiros para filmar uma sequência em que Sydney Pollack entra em um escritório em De Olhos Bem Fechados. James Cameron fazia com que as pessoas que trabalhavam com ele em Titanic usarem uma camiseta com os dizeres “você não me assusta. Eu trabalho para James Cameron”. William Friedkin dava tiros para o alto enquanto a câmera gravava os atores, para assustar e captar as reações reais de seu elenco.

Navegue pela galeria e veja as loucuras e tiranias de 10 diretores de cinema:

Gênios ou loucos? Veja 10 diretores mais tiranos no cinema

1 de 10
Compartilhe Twitter Google +

Alfred Hitchcock

Durante as gravações de Os Pássaros, o diretor decidiu substituir os pássaros mecânicos por gaivotas e corvos reais. Tippi Hedren ficou completamente apavorada e declarou certa vez que a atitute foi uma vigança por ela ter dito "não" às investidas do diretor. Em uma entrevista, o diretor disse que “atores eram como gado”. Anos mais tarde, foi questionado sobre a declaração, e retificou o que disse: “não, eu não disse que eles eram gado, mas que deveriam ser tratados como gado”

Créditos: Reprodução

Lars Von Trier

O diretor é conhecido por suas diversas polêmicas e por sempre levar o seu elenco a exaustão. Von Trier praticamente não fala com os atores e não permite qualquer tipo de preparação ou ensaio antes das cenas. A cantora e compositora Björk foi a a estrela de Dançando no Escuro, em 2000. Ela disse que odiou tanto ser comandada pelo diretor que nunca mais voltaria a ser atriz pelo resto da vida. Björk disse que Lars Von Trier teria "inveja das mulheres, indispensáveis para dar alma a seus trabalhos e, por isso mesmo, teria de destrui-las durante as filmagens". No set, ela destruiu o figurino da personagem e sumiu do set por 4 dias por causa dos abusos do diretor. Certa vez, ela cuspiu no chão ao ver o diretor em vez de falar "bom dia". Posteriormente, ele quebrou um monitor em frente a ela. Outra atriz que teria sofrido bastante com Von Trier foi Nicole Kidman, que acusou o diretor de tê-la torturado psicologicamente enquanto rodava as cenas de Dogville (2003). Ela não voltou para os outros dois filmes da trilogia e recusou todos os convites para filmes futuros de Von Trier.

Créditos: Reprodução

William Friedkin

William Friedkin dava tiros para o alto enquanto a câmera gravava os atores, para assustar e captar as reações do elenco em 'O Exorcista'. Um pouco maluco, não?

Créditos: Reprodução

Abdellatif Kechiche

O diretor de 'Azul É a Cor Mais Quente' entrou em uma polêmica forte. Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux, protagonistas do filme, acusam o diretor de obrigá-las a repetir as cenas de sexo por semanas. Elas usavam uma prótese de silicone para proteger os órgãos sexuais, o que não tornava o ato explícito. O que não adiantava grande coisa, segundo as atrizes. Kechiche afirmou que não explorou as atrizes ou o lesbianismo

Créditos: Reprodução

Bernardo Bertolucci

Maria Schneider ficou famosa por O Último Tango em Paris, quando tinha 19 anos. Em entrevista, ela contou que seu único arrependimento da vida foi ter participado do filme, que tem uma cena bastante chocante de estupro, em que o personagem interpretado por Marlon Brando utiliza manteiga como lubrificante. A ideia teria sido do ator, mas extremamente apoiada por Bernardo Bertolucci. "Fiz a cena e chorei. Chorei lágrimas de verdade durante toda a cena. Foi humilhante”, contou a atriz. Bertolucci quase foi preso na Itália por causa desse filme

Créditos: Reprodução

David Fincher

Fincher é perfeccionista e filma a mesma cena dezenas de vezes até conseguir o que quer, levando os autores a exaustão completa. Em 'Clube da Luta', fez a equipe toda trabalhar horas a fio durante uma noite para conseguir o take ideal de um sabonete. Em 'Zodíaco', 90 takes da mesma cena, o que teria feito Jake Gyllenhaal chorar após tudo isso, já que era frequentemente humilhado pelo diretor

Créditos: Reprodução

James Cameron

Bem, que James Cameron é um sucesso absoluto ninguém dúvida. Mas, além disso, é considerado um dos diretores mais tiranos de Hollywood. Em 'O Segredo do Abismo', não avisou ao ator Ed Harris que usaria um tanque sem oxigênio em uma das cenas de megulho. O ator acabou fazendo uma cena de asfixia real, que era exatamente o que Cameron queria. Harris teria dado um soco na cara do diretor após a cena e os dois nunca mais trabalharam juntos. Em 'Titanic', James Cameron, fazia com que as pessoas que trabalhavam com ele usarem a camiseta: 'você não me assusta. Eu trabalho para James Cameron'

Créditos: Reprodução

Paul Verhoeven

Lembra da cruzada de pernas mais famosa do cinema? Bem, Sharon Stone revelou que agrediu o diretor Paul Verhoeven após ver o resultado final da cena em Instinto Selvagem. O diretor não contou que as partes íntimas da estrela seriam expostas

Créditos: Reprodução

Ruggero Deodato

Em o 'Holocausto Canibal', o diretor realmente feriu animais na produção e logo após o lançamento, foi intimado a se defender de acusações de assassinato, que teria ocorrido durante a filmagem. Durante o julgamento, os atores foram ao tribunal para provar que estavam vivos. Deodato foi condenado por crueldade com animais, mas nunca cumpriu pena

Créditos: Reprodução

Stanley Kubrick

Stanley Kubrick sempre foi rodeado de polêmicas - pedofilia em Lolita, estupros em Laranja Mecânica, etc. Porém, era conhecido por ser um "tirano" no set de filmagem. 'De Olhos Bem Fechados' levou nada menos do que 400 dias para ser filmado - recorde na indústria cinematográfica. Ele era tão exigente, que desses 400 dias 2 foram inteiramente gastos com uma sequência em que Sydney Pollack entra em um escritório

Créditos: Reprodução

Sugerir correção

Relacionados ao assunto

Carregar mais

Comentários